Esporte e a Competência Emocional

Esporte e a Competência Emocional

A Competência Emocional se destaca por ser o diferencial competitivo de lideres, atletas e equipes na busca incessante por resultados dentro das arenas esportivas, especialmente nos momentos em que a importância da partida encontra a incerteza do resultado. Essa é a “hora da verdade”, que se apresenta nos instantes de decisão onde a tensão muitas vezes define quem se consagra e quem fica ao longo da competição. Aqueles que reúnem maior capacidade de dominar emoções como ansiedade e irritação, levam vantagem porque as habilidades sócio emocionais são definitivas nos esportes, negócios e na vida.

Atletas e Equipes de alto rendimento vivem de resultados – do placar desejado e favorável. Por esse motivo é preciso entender que o placar reflete o conjunto de fatores que interage ativamente durante as competições e, especialmente, aprender o que podemos ou não podemos dominar como: 

  • NÃO PODEMOS DOMINAR – conjunto de forças externas (situações e pessoas) como, por exemplo, quando o atleta entra em campo, ele não tem como controlar as condições climáticas, qualidade da grama, horário estabelecido para a partida e até mesmo a ação da arbitragem, muito embora alguns tentem fazer esse papel.
  • PODEMOS E DEVEMOS APRENDER A DOMINAR O QUE ESTÁ AO NOSSO ALCANCE – Escolhas, Decisões e especialmente as nossas Ações que representam o conjunto de forças internas PESSOAIS e INTERPESSOAIS (pensamentos, sentimentos, ações e interações) a parte que nos cabe de nosso destino.

Assumir a parte que nos cabe no placar de nossas vidas significa compreender que o que FAZEMOS ou DEIXAMOS DE FAZER nos aproxima ou nos distancia dos RESULTADOS QUE DESEJAMOS. Essa compreensão é fundamental e nos leva a aprender a construir o placar em diferentes dimensões de realização humana. 

Muitos programas de preparação de atletas e equipes esportivas tentam corrigir as deficiências de desempenho simplesmente aumentando as horas dedicadas ao trabalho técnico, tático ou físico, mesmo que, com frequência, o problema não esteja na falta de habilidades emocional. Aumentar o trabalho repetitivo apenas nos fundamentos esportivos não ajudará a superar a pressão, aumentar a concentração, confiança, motivação ou o domínio dos impulsos da agressividade e, até mesmo, não contribuirá nos momentos de recuperação de lesões. Os componentes emocionais transcendem a esses aspectos. Em qualquer esporte, o êxito ou fracasso de um atleta e equipe é resultado do complexo conjunto de variáveis que integram o momento de uma competição. Portanto, a Competência Emocional é uma das variáveis que devem ser controladas e pode ser considerada o diferencial competitivo especialmente nos momentos decisivos, a ”hora da verdade” nas arenas esportivas.

Autora: Suzy Fleury

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *