Vai voar quando?

Vai voar quando

Muitos dizem que é necessário coragem para voar, concordo com isso, desde que você não seja um pássaro, que sabe que nasceu para voar. Mesmo o pássaro que já voou mais alto (Grifo-de-Rüppell), acima de 11.000 metros, na África, não precisou de coragem, apenas consciência da própria natureza, razão de sua existência e um… primeiro passo, ou pulo. Assim como os pássaros, todos nós, metaforicamente, nascemos para voar, ou seja, para realizar quem somos, cada um à sua forma, cada um com um próprio norte. Se o Grifo-de-Rüppell tiver medo de voar, provavelmente não voará e, infelizmente, terá uma vida de frustrações e arrependimentos. Morrerá com a dor da consciência de não ter sido quem poderia ter se tornado.

A palavra “voar” é comumente associada ao risco, à incerteza e à falta de “chão”, por isso, penso eu, voar é normalmente associado à palavra “coragem”. A coragem é necessária quando temos que enfrentar algum temor, medo ou perigo. Veja bem, a ameaça na vida é sermos quem nascemos para ser, ou ficarmos apenas contemplando nossas imagens mentais do que queríamos para nós? É justo acreditar que é de coragem que uma pessoa precisa, para ascender à posição que deveria ocupar, reflexo de sua natureza?

Vincular uma palavra associada a sensações negativas, que causam medo, como a coragem, para conquistar sensações positivas, como simplesmente ser quem é, pode paralisar e intimidar, com certeza, muitas pessoas, afastando-as daquilo que deveria ser delas, por direito de nascença. Isso não faz sentido, ter sentimentos de medo e insegurança para ser e fazer o que deveria ser natural para cada um.

O tempo é um cronômetro regressivo, sem a opção de parar. A cada dia que passa você dispõe de menos tempo para fazer o que precisa, deseja ou sonha. As pernas são suas, respondem apenas a você, porém o que você quer, quer o suficiente para sair da posição de um hipotético conforto para viver, um dia, o conforto de olhar para trás e admirar suas realizações? Você já parou para analisar a qualidade com que você usa o seu tempo, a quantidade de decisões críticas que você toma, por dia, para ser você?

Caso você acredite que ainda falta algum curso, um insight poderoso, uma data significativa, um livro revelador ou alguma situação de impacto em sua vida para você mudar de atitude, tome muito cuidado: esse “evento” pode nunca vir até você, e o tempo é inexorável. E pior: outras pessoas já podem estar se mexendo e pagando o preço, para serem elas mesmas, tornando-se, muitas vezes, referências desagradáveis para você, aumentando assim a sua dor, consequência de sua passividade. É possível que ainda falte algo para você, mas para quem não falta? Porém, acredite que você já tem o suficiente para começar o seu voo, exatamente no momento subsequente ao término da leitura deste texto. Pare de ocupar sua mente com o que ainda falta na sua bagagem. O que for relevante e estiver faltando, você poderá adquirir ao longo da jornada. O mais importante é pular para o seu voo, imediatamente.

O que você tem nas suas mãos agora é apenas o seu passado, desapegue, passou! Entendo que pode ser confortável se apoiar no que já se conhece, mesmo não sendo o que queria que fosse. É verdade que o futuro é incerto, vago e amedrontador, mas apenas para aqueles que não se conhecem, não se valorizam e não sabem para onde devem ir. Nesse cenário, é realmente importante ter coragem para continuar andando em frente.

Caso você não esteja onde gostaria de estar, se costuma passar horas refletindo a respeito do que deseja mas não conquistou até o momento, preocupado com a idade, que implacavelmente chega, se comparando com outras pessoas que estão melhor que você, com uma sensação horrível de pavor de não estar onde você acredita que poderia e deveria estar, pare! Dê um basta nestes pensamentos, são só pensamentos que ironicamente lhe privam, concretamente, do que deveria e ainda pode ser seu. Pare e pense o quanto o imaginário que existe apenas na sua cabeça, criação e mérito seu, lhe priva de realizar e ser quem você é. Para muitos nessa situação, eu repetiria o que eu ouvi de um amigo: “Saia da sua frente!”, ou pare de atrapalhar a si mesmo.

Pule na solidez dos seus desejos, com os pés no chão, com olhos para o seu futuro, com ações concretas no presente. Fazer o que tem que ser feito para você ser o que quer ser não é ousar, correr riscos, é apenas seguir o fluxo da natureza – arriscar é ir contra a sua natureza.

Ter uma vida plena, alcançar o sucesso merecido não é algo que demanda coragem, mas sim um comportamento conservador, aquele que preserva a sua identidade, os seus sonhos e cuida e aprimora os seus talentos. Não se iluda com os possíveis grandes saltos, à espera de grandes sacadas, o progresso e o sucesso são construídos um passo por vez, em harmonia com aqueles à sua volta. Para quem está na estrada correta, não é necessária uma revolução, apenas a melhoria contínua.

A coragem é necessária sim, quando se deseja negar a própria natureza! Como alguém pode ter medo de ser quem deve ser? Algumas pessoas podem acreditar que, para voar, é necessário coragem; pensando bem, a coragem é necessária para não voar e se privar de encontrar sua essência. A coragem é necessária para realizar algo perigoso; onde está o perigo em ser quem você nasceu para ser? O perigo está em ficar sentado, assistindo à vida passar a sua frente, para isso é necessário coragem. É preciso muita coragem para não agir.

Para voar e se encontrar, não é necessário coragem, é necessário iniciativa, apenas dar o primeiro passo. O que falta para as pessoas não é a coragem para se revelarem para o mundo, é a clareza a respeito do valor próprio, de quem são e, principalmente, para onde e como devem ir. Se uma pessoa tiver clareza nestas dimensões, a coragem é desnecessária, faz-se preciso apenas um primeiro passo, para “ligar o motor”. Essa primeira decisão e ação irá colocar as engrenagens do universo em movimento, a seu favor. Depois deste início, basta continuar andando, um passo por vez, sem complicação.

Nossa primeira missão é encontrar, entender e organizar as peças do quebra-cabeça de nossa existência, para, ao término desta etapa, podermos enxergar com clareza o mapa da nossa vida. Para isso, não é necessário coragem, mas sim calma, equilíbrio e iniciativa.

A coragem está em não abraçar tudo o que se é capaz de fazer, pois assim irá ter uma vida repleta de riscos, incertezas e dificuldades. A coragem é necessária para aqueles que negam a própria natureza. Não é necessário coragem para fazer o que é certo, é necessário confiança, em si mesmo. Não existe esperar a hora certa para voar, a hora certa não se espera, se cria.

Ao pular neste momento e voar, figurativamente em direção ao encontro dos sinais que a vida tem lhe sussurrado há anos em seus ouvidos (para alguns, gritado), você não encontrará um vazio, mas sim um ambiente que irá lhe abraçar, lhe sustentar, proporcionando-lhe uma sensação de plenitude, unidade e integração com a vida, a sua vida.

O vento do destino sempre sopra a favor, apenas ajuste as velas e não atrapalhe!

Autor: Alexandre Ribas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *